Artes Visuais Exposições

Itaú Cultural abriga exposição “Ainda Há Noite/Nos Queda la Noche”

Trabalho da série 'Píxeles' do fotógrafo do argentino Alejandro Chaskielberg

Foi aberta no último dia 12 de junho, no Itaú Cultural (Av. Paulista, 149), a exposição fotográfica “Ainda Há Noite/Nos Queda la Noche”, vinculada à quinta edição do Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo (que acontece de 13 a 16 de junho), com foco na produção fotográfica da América Latina e curadoria do instituto ao lado do espanhol Claudi Carreras e do brasileiro Iatã Cannabrava.

Composta por mais de 300 imagens, a coletiva  revela as inquietações e a poética de fotógrafos oriundos de oito países da região. São 10 projetos de 11 fotógrafos e um editor originários da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Guatemala, México, Peru e Uruguai, além da Espanha e do Reino Unido. Sob o véu do tema, a noite, as imagens da mostra dialogam com assuntos contemporâneos presentes nesta porção continental – da onipresença dos celulares, a violência, manifestações sociais e resiliência, ao trabalho noturno e a memória.

“Ainda Há Noite/Nos Queda la Noche” sugere que há aspectos das identidades e das realidades latino-americanas que só são revelados ou vistos com mais precisão nas horas em que a luz natural cede espaço à da noite. A série ‘Píxeles’, do argentino Alejandro Chaskielberg, traz uma mescla de poesia e crítica ao propor entender as pessoas como pixels de uma grande imagem global.

Do Chile vem a série da dupla Alejandro e Cristóbal Olivares, ‘Chile 874′. As fotos registram o período entre 2011 e 2013, quando professores, estudantes e seus pais, aos milhares, tomaram as ruas do Chile para protestar contra o governo e o lucro obtido com as políticas educacionais. As manifestações foram reprimidas pela polícia, que aprisionava os manifestantes e usava gás lacrimogêneo, além de força física contra a multidão.

‘História Natural do Silêncio’ : foco na população vítima da violência do narcotráfico (foto: Jorge Panchoaga)

‘História Natural do Silêncio’ do colombiano Jorge Panchoaga também trata da violência sofrida pelos cidadãos latino-americanos. A série aborda um período em que, segundo o fotógrafo, uma geração de homens e mulheres entrou no mundo da clandestinidade nas diferentes cidades colombianas, como refúgio ou em articulação da economia do narcotráfico com a sociedade.

‘Purgatório” do uruguaio Ignacio Iturrioz; ‘Moon Shadows’ editado pelo norte-americano Kalev Erickson; ‘Boa noite, povo’ da dupla hispano-brasileira, Cristina De Middel e Bruno Morais; ‘Basal’ da brasileira Luisa Dörr; ‘De Tiempo en Tiempo un Volcán Estalla’ da peruana  Gihan Tubbeh; ‘Insídia’ do guatemalteco Juan Brenne e ‘Luciernaga’ do mexicano Yael Martínez são as séries que completam a exposição.

A exposição permanece em cartaz no Itaú Cultural (pisos 1 e -1) até o dia 11 de agosto e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h às 20h (permanência até as 20h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. Acesso gratuito.

Compartilhar:

Comentários

Clique para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade