Cinema Notícias

“Todos os Mortos” concorrerá ao Urso de Ouro na Berlinale 2020

Mawusi Tulani em cena de "Todos os Mortos" de Marco Dutra e Caetano Gotardo (Crédito da Foto: Agyei Augusto)

Foram anunciados hoje, pela manhã, os filmes selecionados para a Competição Oficial do 7oº Festival de Berlim, que acontece de 20 de fevereiro a 1º de março de 2020. E tem brasileiro na competitiva!! Trata-se do filme “Todos os Mortos” dirigido por Marco Dutra e Caetano Gotardo com produção da Dezenove Som e Imagens e da Good Fortune Films.

A trama, que se passa onze anos após o fim do período escravista, gira em torno de duas famílias: uma branca, os Soares, e outra negra, os Nascimento. As mulheres da família Soares ainda estão presos à ideia de superioridade e posse, enquanto que Iná Nascimento, que viveu muito tempo escravizada, tenta reunir seus entes queridos, ao mesmo tempo que o mundo hostil a faz refletir suas próprias vontades.

A história da coprodução franco-brasileira é conduzida pelas mulheres das famílias, interpretadas por Mawusi Tulani (dos espetáculos “Bom Retiro 948 metros” e “Cartas de Despejo”), Clarissa Kiste (do longa “Trabalhar Cansa”), Carolina Bianchi e Thaia Perez. O jovem Agyei Augusto (do musical “Escola do Rock”) é um dos protagonistas do filme, que também tem participações especiais da cantora Alaíde Costa, da atriz portuguesa Leonor Silveira e de Thomás Aquino (“Bacurau”).

A trilha sonora é composta por Salloma Salomão, músico, historiador e educador com profunda pesquisa no cruzamento entre a música brasileira e as tradições da cultura e da música africanas.

Concorrerão com “Todos os Mortos” ao Urso de Ouro de Melhor Filme: “The Woman Who Ran” de Hong Sang-soo, “The Salt of Tears” de Philippe Garrel, “The Roads Not Taken” de Sally Potter, “Berlin Alexanderplatz”  de Burhan Qurbani, “El Prófugo” de Natalia Meta, “Rizi” de Tsai Ming-Liang, “DAU. Natasha” de Ilya Khrzhanovskiy e Jekaterina Oertel, “Effacer l’historique” de Benoît Delépine e Gustave Kervern, “Favolacce” de Damiano e Fabio D’Innocenzo, “First Cow” de Kelly Reichardt, “Siberia” de Abel Ferrara, “Udine” de Christian Petzold, Volevo Nascondermi” de Giorgio Diritti, “My Little Sister” de Stéphanie Chuat e Véronique Reymond, “There Is No Evil” de Mohammad Rasoulo, “Irradiés” de Rithy Panh e” “Never Rarely Sometimes Always” de Eliza Hittman.

Compartilhar:

Comentários

Clique para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade