Música CDs/Discos

Cidade Dormitório lança o Álbum “Fraternidade-Terror”

Banda sergipana Cidade Dormitório lança seu primeiro álbum "Fraternidade-Terror" (Crédito da Foto: Hemilly Souza)

A banda sergipana Cidade Dormitório lança seu primeiro álbum intitulado “Fraternidade-Terror” contando com algumas canções embaladas por nostalgia e romance, enquanto que outras soam cinzentas e embebidas nos mais profundos dramas humanos. O contraste também é estético e discursivo. O próprio conceito da cidade dormitório – distante geograficamente e culturalmente dos grandes centros – escancara essas noções e provoca o pensamento para além das limitações.

‘Homo Erectus Plus’, quarta faixa do trabalho que conta com a participação de lllucas, traz no título o humano moderno e suas telas que cabem na palma da mão. Já em ‘Cinto que Aperta e Esta Fivela me Machuca” surge a constatação inevitável de que a história do sujeito e do mundo à sua volta se perde em uma linha do tempo infinita de auto-descarte. A capa ilustrada por Emanuelle Alencar, artista plástica de Teresina (PI), incorpora toda essa complexidade.

Cidade Dormitório encontrou em seu trabalho um diálogo importante entre as multi impressões do urbano, a vigilância moderna em tons frios que desafiam a arquitetura pós-moderna e as provocações presentes em “Fraternidade-Terror”. Essas sonoridades e temáticas haviam sido antecipadas por dois singles lançados em 2019: ‘Relacionamentos são Extremamente Complicados e Meu Cachorro Sabe Disso’, faixa que ganhou uma ilustração de capa da designer Aliens Of Camila e ‘Homo Erectus Plus’, lançado em formato footage com lyric video.

Faixa-a-faixa (por Yves Deluc):

‘Cinto que Aperta e Essa Fivela me Machuca’ atenta a momentos que nunca existiram no plano íntimo vivido do eu, mas que são plenos e conhecidos no subjetivo do sistema, nas brechas entre sociabilidades.

‘Besa (Beijos)’ demonstra a insuficiência do eu diante do outro no lócus de uma relação, no andar da situação isto muda ao outro estender a mão trazendo segurança, os sentimentos fortalecem os atores sociais nos percalços de um mundo de valorações arbitrárias.

‘Homo Erectus Plus’ brinca em tons frios ao visualizar o sujeito moderno, de celular com a mais alta tecnologia em mãos, mas com um retrocesso de muitíssimos gigas sobre suas costas. A modernidade não parece fazer evoluir outra coisa a não ser o drama de ser alguém.

‘Relacionamentos são Extremamente Complicados e Meu Cachorro Sabe Disso’ põe as relações amorosas na modernidade em xeque de forma cômica, não precisa-se falar de Bauman direta e profundamente para perceber o quão complicado isto aqui está sendo, até o cachorro sabe…

‘Aribé II (Associação livre)’ age provocativa aos bem encaixados e ritmados versos de planejamentos chicletes sabor amônia da indústria cultural. Não é esse o fator principal, mas a literal associação livre em versos cuspidos cochicham o que é estranho, passeando entre seres, comportamentos e crises na sociabilidade.

‘Bad Sem Fim’ nega a si, mas não totalmente. Um fim de relacionamento prende pés na porta dos fundos, é entre o que deve ou não ser feito que esta canção se encontra, uma canção de término. Inspirada em Daniel Johnston, ela acaba por se tornar uma pequena homenagem.

Ouça “Fraternidade-Terror”: http://smarturl.it/FraternidadeTerror

Sobre a banda

Criada em 2015, a Cidade Dormitório é formada por Yves Deluc (guitarra e voz), Lauro Francis (baixo) e Fabio Aricawa (bateria e voz). Eles começaram a tocar juntos em jam sessions experimentais e despretensiosas que logo foram encontrando uma linguagem musical e lírica comum, pautada por um humor peculiar e irônico que viraria uma das marcas do grupo.

No ano seguinte, a Cidade Dormitório começou a se destacar nos palcos, sendo a banda escolhida para abrir o III Festival ZONS e o Festival DoSol em Aracaju. Em 2016 ainda, foram indicados pela TV Cidade como uma das revelações de Sergipe. Toda essa experiência e burburinho em torno do projeto se transformou em seu primeiro lançamento.

“Esperando o Pior” (2017) é um EP que foi gravado e mixado por Leo Airplane e lançado pela Banana Records e que levou o som da banda para outras fronteiras longe do nordeste. ‘Setas Azuis’ tocou em rádios na Argentina e a faixa ‘Agora o Meu Coração é um Lixeiro Azul Escroto’ chegou a quase 1,5 milhão de plays. Coroando essa jornada, a Cidade Dormitório realizou uma turnê pelo Sul e Sudeste do Brasil, com direito a uma passagem por um dos espaços mais assistidos da internet: o Showlivre.

Compartilhar:

Comentários

Clique para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade